Seu Marcos faz balanço sobre os 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher

por Marta Costa, Assessoria de Imprensa do Parlamentar — publicado 11/12/2019 16h45, última modificação 12/12/2019 09h43
Seu Marcos faz balanço sobre os 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher

Foto: César de Oliveira

Duas audiências públicas, passeio ciclístico, caminhada e reuniões com órgãos de defesa da mulher foram as atividades que o vereador Seu Marcos ( PHS) participou nos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher.

O período de mobilização, iniciado no dia 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e encerrado nesta terça-feira, 10, Dia da Declaração de Direitos Humanos, contou com ações em diversos órgãos de defesa, a exemplo do Ministério Público de Sergipe (MPSE), Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Serviço Social da Indústria ( SESI), além da sociedade civil organizada.

“Pelo primeiro ano, eu vi os órgãos de defesa da mulher unidos pelo fim da violência. No sábado, 7, participei do I Passeio Ciclístico: Homens pelo Fim da Violência Contra Mulher, realizado pelo SESI em parceria com o MPSE. No domingo, 8, caminhei ao lado do Grupo Mulheres do Brasil para dar um basta a violência. Eventos muito bem organizados e de grande representatividade”, disse o vereador.

Seu Marcos também destacou ações desenvolvidas na CMA. “Nesses 16 dias dialoguei com a Dra. Rosa Geane, da Coordenadoria da Mulher do TJSE e com a promotora Euza Missano, do MPSE, para tratar sobre políticas de prevenção. Trouxe para esta Casa a discussão sobre as campanhas pelo fim da violência e participei da audiência pública sobre o Feminicídio, proposta pela vereadora Emília Correia”, exclamou.

Seu Marcos falou da dificuldade em erradicar a violência e do trabalho técnico que está sendo desenvolvido em Sergipe. “É muito difícil falar sobre a violência de gênero. Em alguns espaços, ouvi atentamente os dados técnicos da Dra. Valdilene, que é técnica em políticas para as mulheres, e é assustador. Nesse exato momento, enquanto estamos aqui na sessão, uma mulher está sendo morta. Parabenizo todas as Dras. Euza, Rosa e Valdilene pelo brilhante trabalho”, disse.